Cresce 42% o número de dívidas levadas a Protesto em Curitiba após a gratuidade

Cartórios da cidade registraram aumento expressivo após publicação de normas nacionais que tornaram o protesto digital e gratuito para o credor

Cresceu em 42% o número de dívidas levadas aos Cartórios por empresas e comerciantes da cidade de Curitiba após as mudanças nas normas de serviço que instituíram a gratuidade ao credor na apresentação de títulos a Protesto em novembro do ano passado. Os números que totalizavam 24.017 dívidas em novembro do ano passado, saltaram para 34.083 em janeiro deste ano, a maior parte delas remetidas eletronicamente.

A mudança impactou os três principais setores que mais utilizam os serviços dos cartórios de Protesto na capital paranaense. As dívidas remetidas pelos bancos cresceram 49% no período, enquanto a de títulos privados subiram 33%. Já as dívidas enviadas pelo Poder Público – IPTU, IPVA, TFE, entre outras – registraram aumento de 27%.

Desde o dia 28 de novembro de 2019, com a edição do Provimento nº 86 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pessoas físicas e jurídicas, incluindo bancos e instituições financeiras, podem protestar títulos e documentos de dívidas gratuitamente. Com a alteração, aquele que foi prejudicado por consumidores inadimplentes passou a deixar de arcar com as custas e taxas para levar uma dívida a Protesto.

A alteração normativa tornou o serviço ainda mais acessível aos pequenos e médios comerciantes, que podem utilizar o serviço que permite a recuperação de 65% das dívidas protestadas. Segundo os dados dos Cartórios de Protesto de Curitiba, seis em cada 10 títulos de dívidas são quitados em até três dias úteis. Com a recuperação de crédito as empresas podem investir mais e, assim, contribuir para o desenvolvimento econômico.

Na comparação com janeiro de 2019, os números de 2020 são ainda maiores quando se referem a dívidas levadas a protesto por pequenas e médias empresas de Curitiba, passando de 1.300 no ano passado para 3.368 em janeiro deste ano, um aumento de 159,1% na comparação entre os dois meses.

Outra novidade introduzida nas normas que tornou os serviços dos Cartórios de Protesto mais acessíveis aos usuários foi a possibilidade do envio de títulos de forma digital por meio da Central Nacional de Protesto (Cenprot), plataforma eletrônica que reúne os serviços de todos os cartórios de Protesto do País através do site: https://site.cenprotnacional.org.br/, possibilitando a solução de dívidas de forma rápida e fácil, sem a necessidade de deslocamentos.

Reconhecido como um dos meios mais eficientes e seguros para empresários e comerciantes saírem da inadimplência e receberem seu dinheiro de volta, os Cartórios de Protesto estão sendo cada vez mais procurados para a recuperação de crédito. Isso reflete na geração de renda e emprego, contribuindo para a economia do Estado.

Fonte: Gazeta do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *